Vida Suíça: meu balanço depois de 4 anos morando no país dos alpes

Esse post era pra ter saído na época da mudança para a Alemanha. Mas em meio a malas, caixas, despedidas e tantas emoções, o balanço dos meus quatro anos de Vida Suíça ficou apenas no rascunho. Agora, prestes a completar 3 meses em terras germânicas e com muita coisa pra contar, resolvi resgatar essas reflexões antes de mergulhar, definitivamente, na minha Vida Alemã.

Não é segredo pra ninguém o quanto eu amei viver na Suíça e o quanto eu me apaixonei por esse país. Prova disso é que, nesses três meses vivendo na Alemanha, já arrumei um jeitinho de emendar uma viagem pra lá e matar logo as saudades (vai sair post dos passeios que fizemos logo logo).

No entanto, colocar no papel o que eu aprendi depois desses quase 4 anos de vida Suíça não é tarefa fácil. Foi tanta coisa que mudou em mim, em minha vida nessa temporada, que fica difícil listar, mas resolvi fazer isso pra dividir com vocês e até como um balanço de vida.

Aqui no blog, minhas experiências no país do fondue e do chocolate estão registradas na página Vida Suíça. Muitos posts ficaram perdidos no caminho e ainda serão resgatados, mas quem quiser saber mais um pouquinho sobre esse período da minha vida, passa lá que tem muuuuuita história pra ler (só clicar aqui).

Mas vamos ao balanço. Resolvi numerar, pra ficar mais fácil a leitura. Mas tenho certeza de que essa lista ficou curta diante de tudo o que vivi nos últimos 4 anos.

10 coisas que aprendi na minha Vida Suíça

1) Eu aprendi sobre planejamento. Na Suíça, os supermercados fecham às 18h30 e não abrem aos domingos. Não dá pra decidir de última hora fazer um jantar com os amigos em casa ou um churrasco no domingo de manhã. Você precisa se programar pra isso com uma certa antecedência. Ou vai pagar caro por isso. Os poucos estabelecimentos abertos fora do horário suíço cobram o preço por serem as únicas opções na hora do aperto.

2) Passei a achar tudo perto. Ok, mineira que sou, pra mim sempre tudo é “pertim, um tirim”. Mas na Suíça isso fica ainda mais evidente. Primeiro porque com mais ou menos três horas de estrada você já sai do país. Perto, não é? Fazer compras na França? Pertinho demais (e vale a pena, vou falar disso no próximo tópico). Passar o final de semana na Itália? Fácil, e ainda mais barato que em qualquer outro lugar na Suíça. Dito isso, vamos ao próximo tópico.

3) A Europa inteira ficou mais barata. A Suíça é um país caro. Conheço gente que não coloca a Suíça nos roteiros de viagem pela Europa por causa do preço do país, e isso é fato. Tudo é mais caro na Suíça. Por isso é muito comum as pessoas fazerem compras nos países de fronteira (no nosso caso, a França sempre foi a melhor opção). Carnes, produtos de limpeza e até o combustível sai mais barato e faz a pernada até o país vizinho compensar.

4) Aprendi a ser turista no lugar onde vivo. Uma coisa que lamento muito é que deixei de conhecer vários lugares da Suíça que gostaria de ter conhecido. Mas sempre que a opção era passar o final de semana e gastarmos com hospedagem, França e Itália saíam bem mais em conta, o que fazia a gente deixar aquele lugar da Suíça pra depois. Uma pena, mas a realidade. A Suíça é um país caro (voltamos ao item 3) e, viver lá, me fez a achar quase todo o resto do mundo mais barato. Alguns lugares eu fui muito, como Gruyère, que era perto e fácil fácil fazer um bate e volta. Mas outros acabei deixando pra depois e, ou deixei de conhecer, ou conheci na minha série de despedidas, como Zermatt.

Em Gruyère, em uma das minhas inúmeras idas até lá.

Zermatt! Como me arrependo de não ter ido antes. Quero voltar!

Mas o melhor dessa experiência é que, agora, quero explorar tudo o que puder na Alemanha. Me aguardem…

5) Aprendi também a supervalorizar os dias de sol. Acho que esse é um aprendizado geral de quem vem viver na Europa. Com as estações do ano tão bem marcadas, os dias de primavera e verão são mais amados do que nunca e o sol chega a ser idolatrado. Ver as pessoas comendo ou lendo sentadas ao sol deixa de ser estranho e passa a ser totalmente compreensível. Na verdade, algumas vezes você também vai fazer isso – eu fiz 🙂 .

6) Apesar de amar os dias de sol, aprendi a gostar da neve, principalmente o primeiro dia que ela cai. Nesses 4 anos, sempre que nevava, eu ficava feito criança vendo a neve cair pela janela. Se você for viver na Suíça, tenho certeza que fará o mesmo. E um dia ou outro vai se jogar na neve, fazer anjinho, boneco e tudo o que tiver direito. Isso inclui tirar fotos pra postar em todas as redes sociais e mandar pra todos os grupos de WhatsApp que participar, pois você quer dividir a neve com o mundo inteiro.

Sim, eu fiz meu próprio Olaf rsrs. Giovanna estava na barriga!

7) Aprendi francês. Sim, eu aprendi a falar francês na Suíça. Aprendi a duras penas, estudando e sofrendo um pouco a cada dia para vencer meus medos linguísticos, mas aprendi. E essa vitória foi gratificante e deixou minha vida suíça ainda mais agradável. Saber se comunicar em terras estrangeiras é fundamental para se viver bem. (Preciso aprender alemão urgente rsrs)

8) Aprendi a ser mãe. Aliás, aprendi também a ser gestante. Aprendi sobre gestação e parto na Suíça. Pra quem não sabe, Giovanna nasceu na Suíça e tive todo o meu acompanhamento pré-natal por lá também. Eu conto tudo numa série de posts sobre gravidez, pré-natal e parto na Suíça. Uma experiência que jamais vou me esquecer. Além disso tudo, dei meus primeiros passos na maternidade nesse país que me ensinou uma maternidade leve, sem neuras. Giovanna foi pra neve com 5 meses. Fez sua primeira viagem de carro com apenas dois meses e de avião com 3. Tudo porque vivíamos na Suíça. E foi boa demais essa fase!

Meu pacotinho em sua primeira ida à montanha.

9) E nessa fase de maternidade, aprendi mais sobre simplicidade. Na espera pela Giovanna, nós fizemos tudo. Preparei o Chá de Bebê com a ajuda de amigas, marido pintou o quarto, pensamos juntos a decoração… Lavei e passei cada roupinha para esperá-la. Coisas simples que, se estivéssemos no Brasil, talvez iríamos terceirizar, por ser mais fácil. Na Suíça, aprendemos muito sobre o DIY (Faça você mesmo). E adoramos esse aprendizado. Tão boa essa simplicidade e praticidade na vida… E nem vou me estender aqui sobre não fazer unhas, não ir ao cabeleireiro com frequência, porque isso já é aprendizado batido de quem vive fora do Brasil e, querendo ou não, eu já sabia que seria assim.

10) E por fim, só para não deixar essa lista enorme (porque se eu pensar bem, tenho certeza de que encontro outros tantos aprendizados), aprendi a viver com menos. Menos sapatos, menos roupas (ok, isso eu ainda tenho demais, mas vamos aprendendo…), menos cobranças, menos pressa. Aprendi a levar uma vida mais leve. E passei a concordar com a máxima de que “menos é mais”. Não que seja uma vida sem preocupações. Mas a gente aprende a dar peso ao que realmente importa.

Viver na Suíça é apaixonar-se um pouco a cada dia pela beleza desse cenário de Alpes e lagos. É entender que as coisas boas desse país vão muito além do queijo e do chocolate (apesar de sim, eles têm os melhores queijos e os melhores chocolates do mundo). Mas a Suíça é mais que isso. Viver na Suíça é como se você estivesse sempre dentro de um cartão-postal. Um cartão-postal que você não cansa de admirar.

Vevey em um dos meus ângulos favoritos. Meu cartão-postal preferido! Spotlight da minha Vida Suíça!

Como me disse uma vez a Liana do blog Ela é americana, “país que não é tropical, mas é abençoado por Deus”. E é por essas e outras que eu vou sentir saudades da época em que lá vivi. Terei sempre belas recordações desse tempo de Vida Suíça e espero poder voltar muitas vezes a esse lugar que, por 4 maravilhosos anos, chamei de lar. Lugar onde tantas coisas vivi e tantas outras aprendi… à bientôt, ma belle Suisse! Et… voilà!

 

2 comentarios en “Vida Suíça: meu balanço depois de 4 anos morando no país dos alpes

  1. Daniela

    Gostei demais desse post. Tenho uma prima que mora na Suíça. Eu tinha muita curiosidade de saber como é a vida lá. Vc resumiu muito bem. Deu até vontade de ir pra la.

    Responder
    1. Fernanda Diniz Autor

      Oi Daniela! Que bom saber que gostou e que despertei em você vontade de conhecer a Suíça. Espero que tenha essa oportunidade para comprovar o quão especial é este país. Beijos e obrigada pelo feedback!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *