Precisamos falar sobre Paris

Já fui a Paris 4 vezes e até agora não tinha nenhum post da cidade mais visitada do mundo aqui no Viagens de Mãe. Por isso decidi começar 2018 tirando esse atraso e colocando em dia meus relatos de viagem para a capital francesa. Afinal, 4 vezes na cidade traz muita experiência pra dividir, desde sucessos a perrengues. E especialmente porque minha última ida pra lá foi devido ao IV EEBB (Encontro Europeu de Blogueiros Brasileiros), o que rende muito assunto e muita informação sobre a cidade queridinha dos turistas na Europa.

Paris: minha história com a cidade

Antes de tudo, preciso confessar: na minha primeira vez em Paris, em 2011, tive uma leve decepção. Era minha primeira viagem para a Europa e estive antes em algumas cidades da Suécia (maior exemplo de civilização que conheço) e em Praga, cidade pela qual me apaixonei de cara e pretendo voltar. Minha primeira impressão de Paris não foi nada do que eu esperava. Cadê aquele glamour todo? Como assim que EM PARIS tem sujeira, gritaria e pessoas pedindo pelas ruas? Inocência ou não de minha parte, não imaginava esse tipo de cenário na cidade luz. Pra completar, fomos pedir informação a um guarda nas imediações do nosso hotel e ele foi logo alertando pra que eu tivesse cuidado com minha bolsa.

Passado o primeiro choque, depois eu até gostei da cidade, mas ainda fiquei um pouco desapontada com alguns aspectos. Como eu não tinha blog na época, não tenho os registros dessa viagem. Tenho fotos, claro, mas nenhum registro por escrito, embora me lembre de cada detalhe dessa nossa aventura. Quem sabe um dia eu coloque tudo no papel, quer dizer, no computador, né?

Primeira vez em Paris

Em 2011, primeira vez em Paris, em frente ao Hôtel des Invalides, onde está o corpo de Napoleão Bonaparte.

Três anos mais tarde…

Em 2014, voltamos a Paris pra levar minha família que estava nos visitando na Suíça. Na época, o meu antigo blog estava em coma (veio a falecer depois, o coitado) e também não postei nada. Foi uma viagem curta e fizemos apenas os passeios básicos. Na época, estávamos com minha sobrinha de apenas um ano e minha avó com 80 anos. Então vocês podem imaginar que fizemos tudo no modo slow, né? Mas ainda assim foi uma viagem inesquecível e pudemos aproveitar o que, para mim, Paris tem de melhor.

Paris, França

Família toda na Torre Eiffel, em 2014.

De volta à Paris em 2017

Essa viagem tinha tudo pra ser uma experiência bem diferente. Tínhamos acabado de nos mudar pra Alemanha e o marido ia pra França a trabalho. Uma amiga de infância estaria em Paris exatamente naquela semana de junho. Como estávamos ainda no apartamento temporário aqui na Alemanha, pensei: por que não ir pra Paris e aproveitar esses dias por lá? E foi o que fiz, levando comigo minha companheirinha de viagens, Giovanna.

Diferente das outras vezes e de outras viagens, não fiz roteiro, não fiz planos. Teria uma semana para explorar uma cidade já conhecida e isso pra mim é fantástico. Não ter a obrigação de ir a pontos turísticos, poder passear por bairros inusitados, conhecer cafés e restaurantes frequentados pelos locais… era isso que queríamos fazer (a amiga que fui encontrar tinha os mesmos objetivos, eba!).

Mas… um lugar não poderia faltar. Nas duas primeiras idas a Paris, tiramos uma dia para irmos à Disneylândia Paris. Em 2011, pra realizar meu sonho mesmo hahaha. Em 2014, tínhamos a desculpa de levar minha sobrinha, mas acho que quem se divertiu mesmo fomos minha irmã e eu. E agora? Poxa, agora eu queria muito levar a Giovanna! E olha, ela curtiu bastante, mesmo tendo poucas opções de brinquedo para a idade dela. Tivemos o azar de muitos estarem em reforma, como o Pequeno Mundo, melhor brinquedo da vida para as crianças. Mas Disneylândia Paris entrou no nosso roteiro (vai ter post detalhado com dicas específicas depois, ok?).

O nosso roteiro não planejado

Então, mesmo sem planejamento, ao final de 7 dias, ficamos com um roteiro assim (uma sugestão que pode ser adaptada de acordo com seu ritmo de viagem e número de dias na cidade):

Dia 1: Disneylândia Paris

Dia 2: Torre Eiffel, Arco do Triunfo com almoço na Champs Élysées. Passeio de barco pelo Rio Sena ao final do dia.

Dia 3: Ensaio fotográfico com a Mirelle, do IG @fotosemparis (depois vou dar mais detalhes dessa experiência que eu SUPER RECOMENDO). Almoço nas imediações da Galeria Lafayette e visita à Galeria Lafayette. Visita à Catedral de Notre Dame ao fim do dia.

Dia 4: Visita à capela de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa. Almoço no Café de Flores. Museu du Louvre.

Dia 5: Versailles.

Dia 6: Jardim de Luxemburgo. Almoço e passeio pelo bairro Les Marais.

Dia 7: Almoço no Café de Paix, ao lado da Ópera e retorno para a Alemanha.

Esse roteiro está longe de ser o roteiro perfeito. Alguns programas podem ser alterados para facilitar a logística de locomoção. Versailles e Disney não tem mágica, é um dia inteiro para cada um e pronto. No entanto, há algumas mudanças que podem ser feitas: o Café de la Paix, por exemplo, fica perto da Ópera, que é perto da Galeries Lafayette. Uma ótima opção é colocar esses passeios no mesmo dia, fica muito mais prático. Mas no nosso caso, estávamos sem planejamento, estão lembrados? Por isso alguns passeios ficaram jogados onde deu pra encaixar. E mesmo assim teve bom demais. Nos próximos posts, vou dar mais detalhes de cada um e sugerir um roteiro mais elaborado que esse nosso de última hora.

Giovanna em Paris, foto do ensaio com a Mirelle @fotosemparis

Mas e o IV EEBB Paris?

Bom, essa foi uma ida a Paris pra uma causa ainda mais especial e merece um post exclusivo, né? Só posso adiantar que passear por Paris em novembro, com clima mais friozinho, foi uma experiência também encantadora. E que o encontro foi tão bom, mas tão bom, que um post só vai ser pouco pra falar sobre ele. Portanto, mais uma vez, aguardem…

IV EEBB Paris

Desvirtualizando amizade com a Juliane, do blog Mel a Mil pelo mundo.

Esse post é só pra tirar o pó aqui do blog (três meses sem postar! Cruzes!), aguçar a curiosidade de vocês e mostrar o que está por vir. 2018 promete e muito! Afinal, começar o ano falando sobre Paris é começar bem demais, não acham? Então fiquem ligados e até os próximos posts. Voilà!

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *