Vida Alemã – Como tudo começou

Já faz 5 meses que nos mudamos para a Alemanha e eu ainda não havia começado essa nova página aqui no blog. Pois bem, aqui está o texto inaugural de minha Vida Alemã. E vou começar contando o início da minha relação com o país que agora chamo de lar.

Alemanha – primeiro contato

Pra quem pensa que vou falar do dia 2 de maio desse ano, que foi o dia que aqui cheguei, está muito enganado. Vou voltar o tempo mais um pouquinho, para 2011, primeira vez que saí do Brasil.

Em 2011, meu marido passou uma temporada a trabalho na Suécia e eu fiquei no Brasil. O tempo do projeto dele era relativamente curto e não compensava (ainda) mudarmos de país. Vim apenas de férias e aproveitamos para passear um pouco pela Europa. E adivinhem qual foi o aeroporto onde fiz conexão? Acertou quem respondeu que foi o Aeroporto de Frankfurt. O primeiro aeroporto que pisei fora do Brasil. Acho que nosso destino estava traçado…

Bem, ainda naquela viagem de 2011, visitamos Berlin e fiquei encantada pela cidade. Só não gostei do frio que passei por lá, mesmo sendo pleno mês de julho. Mas a Alemanha, que antes era um país que eu sequer imaginava conhecer, começava a entrar na minha vida.

Berlin

Berlin, viagem de 2011

Berlin

Sim, sou eu embaixo do guarda-chuva. Essa foi minha primeira experiência com a Alemanha: vento, chuva e frio, muito frio.

Vida Alemã Suíça

O tempo passou, o marido voltou para o Brasil e algumas propostas de trabalho na Europa começaram a surgir. E adivinhem qual foi a primeira que de fato consideramos? Sim, de novo a resposta é Alemanha! E acreditem, era uma proposta pra Frankfurt. Mas quis o destino que não fosse aquele o momento para fazermos nossa história por aqui e, por algum motivo, permanecemos mais um ano no Brasil. Até que veio a proposta para irmos para a Suíça e vocês sabem como essa história termina. Havia algo mais forte que nos levava para o país dos alpes.

Fomos muito felizes nos 4 anos que lá vivemos – não é segredo pra ninguém que acompanha o blog, né? Sou declaradamente apaixonada pela Suíça. Mas um fato interessante marca minha história com a Alemanha também naquele 2013. Cheguei na Suíça em julho e, em agosto, uma prima veio para a Alemanha para estudar. Em outubro, decidi visitá-la na pequena cidade de Marburg (posts aqui e aqui). Duvido que alguém aí acerte por onde cheguei na Alemanha para ir a Marburg… Se você respondeu Frankfurt, acertou! E olha: fiquei encantada com a cidade (contei nesse post aqui, escrito naquela época). E me lembro como se fosse ontem que, quando voltei, marido perguntou: “Gostou de Frankfurt? Pode ser que um dia a gente vá morar lá”.

Frankfurt

Foto de Frankfurt tirada em outubro de 2013

A notícia da mudança

Pois é… 3 anos se passaram e a profecia aconteceu. Em novembro de 2016, numa noite qualquer, ele chegou em casa um pouco misterioso. Eu me lembro que tinha falado com ele há alguns dias alguns assuntos do blog. Quando ele veio para a mesa para jantarmos bebermos um vinho e comermos algo, ele trouxe um caderninho que eu uso para anotações daqui do Viagens de Mãe. Na hora pensei: o que meu bloco de notas do blog tá fazendo aqui? Será que ele teve alguma ideia mirabolante para o Viagens de Mãe? (Na época, eu estava querendo começar o canal no youtube – o que de fato fiz – e com alguns outros projetos.)

Meus pensamentos foram interrompidos quando ele disse: “Vai começar a brincadeira: escreva pra mim, em ordem de sua preferência, onde você topa morar nos próximos 4 ou 5 anos. Vale qualquer lugar do mundo.” Nem preciso dizer que minhas pernas bambearam, né? Ainda bem que eu estava sentada e tinha uma taça de vinho na minha frente pra dar aquele gole. Olhei pra ele e perguntei: “O que aconteceu? Você recebeu alguma proposta?” E ele só respondeu, com um sorrisinho cheio de mistério: “Escreve aí, vai!”

Comecei a escrever: 1) Suíça… E ele: “Suíça não está na lista, é para nos mudarmos daqui”. Poxa… mas eu gosto tanto de viver aqui… por que isso de mudar agora? Pensem: algum tempo atrás você largou tudo, saiu total da sua zona de conforto e veio viver em um país diferente. Penou, mas finalmente aprendeu a língua. Construiu laços de amizade, criou hábitos, se ambientou aos costumes e à vida local. Criou uma nova zona de conforto. De repente, vem a notícia que vai começar tudo de novo. E você sequer sabe onde. Meu coração disparou, dei mais um gole no vinho e recomecei: onde eu moraria nos próximos anos?

Comecei a escrever: 1) Itália (tenho um caso de amor com a Itália); 2) Espanha (comecei a colocar países de clima um pouco mais ameno); 3) Alema… não, espera… Falar alemão vai ser muito foda difícil. Vou mudar essa ordem, embora o clima na Inglaterra seja pior que na Alemanha. 3) Inglaterra (inglês eu já falo um pouco, bom que posso aperfeiçoar). Pensei mais um pouco antes de colocar o número seguinte. Mas escrevi: 4) Alemanha (ok, vai que, né?). E parei de escrever. Olhei pra ele, que sequer olhava minhas anotações. Estava observando a Giovanna, que brincava no tapete da sala. Resolvi chamá-lo:

– Amor, tá pronto. Terminei!

– Mas você só colocou 4 países. Vale o mundo inteiro.

– Eu não quero morar em outro lugar. Quero ficar quietinha aqui na Europa. Aliás, por mim, fico quietinha aqui na Suíça (e dei uma risadinha…)

– Jura que não quer colocar outro país? Estados Unidos? Canadá? África do Sul? Japão?

– Não, minha lista é essa. Fala logo, vai!

Ele começou a analisar a lista. Estendeu a mão, pegou a minha e disse: “Estou aliviado. Não é seu número 1, mas pelo menos é um país que consta na sua lista”. E na hora eu soube que ele estava falando da Alemanha. Afinal de contas, acho que lá atrás, já estava escrito que, em algum momento, viríamos pra cá. E esse momento chegou.

Willkommen: Vida Alemã

Desse dia até de fato nos mudarmos para Frankfurt, muita coisa aconteceu. O processo de visto, a mudança, nossos primeiros meses aqui em apartamento temporário… E vou contar pra vocês cada passo nos próximos posts. O que eu queria dizer nesse texto é que, no fundo, eu sabia que um dia, mais cedo ou mais tarde, eu seria lançada a uma Vida Alemã.

Então… Willkommen a essa nova fase que, com prazer, divido com vocês.

2 comentarios en “Vida Alemã – Como tudo começou

  1. Nani

    Uau! Que legal saber que foi assim! Adorei a história! E o fato de ter alguém pra fazer amizade aqui por perto! Hehe
    Beijos, Fernanda! Estou atrasada, mas vou me atualizar lendo posts antigos!

    Responder
  2. Cleuza giacon

    Que maravilha Fer!!
    Fazia um tempo que não via o seu blog, e fiquei super orgulhosa de você!!
    Me veio na memoria os nossos passeios por Lund e Malmo! Muito bom saber que agora a família cresceu e você escrevendo a sua história e compartilhando experiências e isso ajudará muitas pessoas . E quem teve o prazer de lhe conhecer, sabe que essa mineirinha não é fraca não !!❤️

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *