Barcelona com criança: o que fazer em dois dias

Barcelona sempre foi um destino da minha whislist, mas nunca conseguia encaixar em algum roteiro de viagem, pois acabava priorizando outros destinos mais próximos. Foi assim na nossa EuroTrip de 2011 e em outras tantas viagens que fizemos enquanto moramos na Suíça. Mas finalmente a oportunidade surgiu e, embora o tempo tenha sido curto, deu pra aproveitar muito do que essa linda cidade tem para oferecer.

Marido tinha uma viagem para uma cidade próxima (Girona) e, como agora essas viagens ficarão frequentes, quero me acostumar a emendar junto com ele para alguns destinos. E escolhi bem o primeiro deles, não? Já estávamos com a mudança pra Alemanha programada, mas ainda estávamos vivendo na Suíça. E essa viagem tinha dois desafios: conhecer o melhor de Barcelona em dois dias e fazer meu primeiro voo sozinha com a Giovanna, pois marido seguiu pra Girona e nós voltamos sozinhas pra casa. Sobre esse voo sozinha com a Giovanna, fiz um vídeo que tá lá no canal do Viagens de Mãe no youtube, cliquem aqui para ver.

Sobre o roteiro enxuto de dois dias, nada como pesquisar em blogs amigos e adaptar os passeios de acordo com seus objetivos e ritmo de viagem – afinal, estamos falando de dois dias em Barcelona com uma criança de 19 meses. Então aqui está o que fizemos nesses dois dias, com nossos erros e acertos pra ajudar você a planejar sua visita à capital da Catalúnia.

Chegamos a Barcelona na sexta-feira à noite e depois de deixarmos nossas malas no hotel, seguimos para jantar no Hard Rock Café de Barcelona pra acrescentar mais um para nossa lista de Hard Rocks. E dessa vez foi uma experiência muito legal, pois pela primeira vez, pedimos o menu kids pra Giovanna. Ela não comeu muito (tinha se entupido de sachê e teta durante o voo rsrs), mas fiquei apaixonada pela forma em que o prato infantil foi servido. Sem contar naquele carinho de sempre com os pequenos: livrinho e lápis pra colorir. É o padrão Hard Rock nos encantando mais uma vez.

Hard Rock Café Barcelona

Vejam a fofura desse prato em formato de guitarra. Pena que não tinha pra vender…

Antes de contar sobre o dia seguinte, uma nota a respeito do hotel. Justamente na semana que visitamos Barcelona, estava acontecendo uma grande feira tecnológica por lá, o que deixou a cidade lotada e limitou as opções de hospedagem. Acabamos indo parar no Apartamentos Atica, que deixou um pouco a desejar. Pela primeira vez, pagamos 10 euros por noite pela instalação do berço para a Giovanna. O aquecimento do apartamento não era dos melhores e consideramos a limpeza ok até precisarmos pegar um brinquedo da filhota que caiu debaixo da cama. Então, se for pra Barcelona, recomendo fazer a reserva de hotéis com o máximo de antecedência possível (nós fizemos meio no susto) para evitar furadas como essa. Infelizmente o Las Ramblas, hotel que nos foi recomendado, estava lotado. Mas fica a dica dele aqui pra vocês. (Clique aqui para ver mais hotéis em Barcelona)

Primeiro dia

Saímos cedo do hotel com destino ao Camp Nou, o famoso estádio do Barcelona. Essa é uma visita que deve ser planejada. Nós compramos os tickets pelo próprio site do estádio para evitar surpresas. A entrada estava bem tranquila e até daria pra comprar na hora. A vantagem de comprar antes é que você tem acesso ao calendário do estádio. Nos dias de jogos, a visita não é possível, então vale se programar. Pra quem gosta de futebol, conseguir assistir a um jogo do Barça também não é nada mal. O site oficial tem toda a programação de jogos e vale a pena conferir com as datas da sua visita. Nós, infelizmente, não tivemos a sorte de ter um jogo nos dias que estivemos lá, mas o tour pelo estádio já valeu super a pena.

Camp Nou

Na entrada do Camp Nou

O tour completo passa pelo museu que conta a história do Barça, sua trajetória, seus principais jogadores (nessa sessão, estão presentes nossos Ronaldinho Gaúcho e Neymar, mas o principal destaque é para o argentino Messi – tem uma seção exclusiva com prêmios que o jogador já recebeu e é impressionante! O cara é realmente bom!).

A visita passa ainda por todos os bastidores da imprensa, vestiário dos jogadores e pelo próprio campo. Eu, que tinha um desejo imenso de atuar no jornalismo esportivo, fiquei quase enlouquecida nessa parte.

A visita ao Camp Nou custa 25 euros por pessoa e dura cerca de duas horas. Como fizemos a visita pela manhã e acabamos demorando muito um pouco pra sair, comemos por ali mesmo, no Tapas 24, bar de Tapas localizado ao lado do estádio. Pedimos a sequência de tapas do Menu tour e saímos super satisfeitos. Pra Giovanna, pão e batatinha frita mesmo (nem sempre dá pra manter a alimentação da criança saudável durante as viagens e isso não é um stress pra nós – leia mais sobre isso neste post aqui).

Mesmo fazendo roteiro e planejando algumas das principais visitas, demos algumas mancadas durante essa viagem, especialmente no primeiro dia. Compramos um ticket combinado para visitar a Sagrada Família + Tour de ônibus. Como agendamos o Camp Nou para o sábado, deixamos a Sagrada Família para o domingo e achamos que o ônibus só poderia ser usado no domingo também. Erramos feio, pois poderíamos ter usado o busão (sistema Hop on, Hop off) no sábado. Com isso, perdemos muito tempo usando transporte público e até táxis e, no dia seguinte, usamos pouco o ônibus, pois a maioria dos passeios deixados para o dia seguinte dava pra fazer caminhando mesmo. Mancada das brabas!

Bem, com esse vacilo em relação ao ônibus, os passeios do sábado ficaram limitados. Depois do estádio, seguimos de ônibus para o Parque Güell que, embora seja uma das obras mais famosas de Gaudi, me deixou um pouco desapontada. Estava lotado e até difícil de caminhar, ainda mais empurrando o carrinho da Giovanna. Não conseguimos andar o parque todo, alguns acessos eram feitos através de escada e ficamos desanimados. Queria ter tido espaço pra Giovanna correr, brincar um pouco, mas ali, com aquele aglomerado de gente, impossível.

Não ficamos nem meia hora e pegamos um táxi para Montjuïc. O táxi nos levou até próximo à entrada do castelo, mas entrar não era nosso objetivo. Queríamos apenas ter a vista de Barcelona lá do alto. Tiramos algumas fotos e descemos de teleférico – que é, na verdade, um bondinho, ok? Super tranquilo ir com carrinho de bebê. E ali sim a vista é maravilhosa. Do ponto final do teleférico, caminhamos até o lugar onde aconteceram as Olimpíadas de 1992. Adorei passar por ali, pois essa é a primeira Olimpíada de que tenho lembrança. O local não estava aberto para visita, mas conseguimos algumas fotos dali do portão mesmo.

De lá, continuamos a caminhada até o Museu Nacional de Arte Catalúnia para apreciarmos o show da Fonte Mágica, parada obrigatória para quem visita Barcelona. Esse foi um dos meus passeios preferidos. A arquitetura do Museu, as cascatas de água, a fonte mágica… tudo lindo e um cenário perfeito para fotos. E o mais legal: o acesso pode ser feito com escadas rolantes, não é demais?

O dia estava no fim e começou a esfriar (mais!). Sim, eu menosprezei o frio que poderia fazer em Barcelona. Fomos em fevereiro e embora na Suíça ainda estivesse frio, acreditei que em Barcelona pudesse estar melhor, já que a previsão era de sol. Engano meu. O vento estava frequente fazendo com que a sensação térmica fosse menor que a mostrada pela previsão do tempo. Então, uma dica para quem visitar Barcelona nessa época do ano: agasalhe-se bem!

Pegamos um ônibus para o centro para jantarmos no El Nacional, um complexo de restaurantes super comentado nos blogs de viagem e culinária. Fomos lá conferir e aprovamos: comemos uma paella muito boa! O único senão é que os preços são um pouco mais salgados. Em restaurantes menos populares, pagamos bem mais barato por refeições tão boas quanto. É que ali é mais turístico e os restaurantes se aproveitam disso, claro! Mas é uma bela experiência gastronômica em um visual bem interessante. Até o banheiro do lugar é charmoso e rende muitas fotos!

Segundo dia

Um ponto positivo do nosso hotel era a localização em relação à Sagrada Família. Foram mais ou menos 15 minutos de caminhada em um calçadão super agradável, arborizado (as árvores estavam secas devido ao inverno, mas deve ser lindo em outras estações) e já com vista para a imponente construção de uma das igrejas mais famosas do mundo.

Sagrada Família

O caminho para a Sagrada Família

A visita à Sagrada Família precisa ser agendada, pois na hora dificilmente é possível entrar, a não ser que você chegue muuuuuito cedo. E mesmo agendando, a recomendação é marcar para os primeiros horários para evitar aglomerações (formam-se grandes filas nas entradas e lá dentro fica bastante cheio também). Como estávamos com carrinho de bebê, usamos uma entrada especial que foi super tranquila: sem tumulto, acesso com rampa e muita tranquilidade.

A construção é simplesmente impressionante. A igreja, obra-prima de Gaudi (ele de novo!), começou a ser construída em 1882 e ainda não foi finalizada. Isso mesmo, ela ainda está em construção e reza a lenda que será finalizada em 2026. No entanto, as partes em obra, os andaimes, parecem já fazer parte do maior ícone de Barcelona e há rumores de que a finalização sempre será adiada. Vai saber…

As fotos dispensam legenda e não conseguem traduzir a grandeza e beleza desse lugar. Só visitando mesmo pra sentir! É a igreja mais diferente que já vi na vida – e olha que já visitei igrejas nessas minhas andanças, heim? A entrada custa 15 euros por pessoa e abrange também a visita ao museu que conta toda a trajetória de construção da igreja. (Compramos o combinado Sagrada Framília + Hop on Hop off Bus por 39,50 por pessoa pelo TicketBar).

De lá, seguimos para a melhor forma de conhecer Barcelona: caminhando pelas ruas. Começamos pelas famosas ruas do centro, indo sempre pela principal, Las Ramblas. A intenção era passar pelo mercado da Boqueria, mas infelizmente ele estava fechado (era domingo, né? Não pensamos nisso antes…). Ali perto, adentramos as ruazinhas para almoçarmos no La Fonda, restaurante recomendado por amigas que visitaram Barça no mês anterior. Comemos o famoso arroz nero (traduzindo, arroz de polvo) e aprovamos. E o preço foi bem melhor que o jantar da noite anterior.

Depois do almoço, seguimos para a região portuária de Barcelona, passando pelo monumento à Colon. Trata-se de uma estátua de Cristóvão Colombo apontando para as Américas. Ali caminhamos e nos perdemos, pois não sabíamos ao certo o lugar para pegarmos o ônibus para o qual tínhamos tickets do dia. Quando finalmente pegamos o ônibus, seguimos então para o Zoo de Barcelona, pois eu queria muito fazer um passeio especial para a Giovanna. Infelizmente, chegamos lá faltando meia hora pra fechar e já não valia a pena entrar, então ficou pra próxima. No dia seguinte, fui com ela ao Aquário, mas conto isso num post especial, ok?

Zoo de Barcelona

O Zoo de Barcelona ficou para a próxima…

Saímos do Zoo e fomos caminhar por onde ainda não tínhamos caminhado: Praça da Catalúnia e Avenida Las Gracias, a avenida mais movimentada de Barcelona e uma das mais bonitas também. É nessa avenida que estão localizdas outras duas construções famosas de Gaudi, a Casa Milà (ou La Pedrera) e a Casa Batlló. Ambas são realmente impressionantes e com a peculiaridade arquitetônica de Gaudi. Paradas obrigatórias para fotos, com toda certeza! Aliás, as obras de Gaudi são os pontos mais comentados sobre Barcelona, então é impossível deixar de visitá-las, nem que seja por fora.

Depois de tanto andar, já estávamos mortos e acabados e sentamos no restaurante pra comer e descansar. Só que não! Ainda fiz o marido andar mais um tanto só pra ir num café que serve um dos mais tradicionais churros da cidade. Matadas as minhas lombrigas de comer churros, fomos então jantar. Sim, a sobremesa veio antes devido à localização. Kkkkk

Churros

Churros no café La Pallaresa

E depois de um dia cheio como este, só nos restava voltar para o hotel, descansar e desejar uma outra viagem a Barcelona para ver o que não deu tempo e curtir de novo o que mais gostamos. No próximo post, minha manhã seguinte sozinha com a Giovanna no aquário e uma super dica pra quem visita Barcelona com crianças.

Ficou alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários que será um prazer responder. E divida você também com a gente sua experiência em Barcelona, vamos adorar!

Até a próxima e… voilà!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *