Zermatt e o majestoso Matterhorn

Se tem um lugar na Suíça onde não vai faltar opção de ter o que fazer, esse lugar é Zermatt. Talvez essa seja uma das razões da cidade ser uma das mais procuradas por quem visita a Suíça. As opções de passeio são muitas, para todos os gostos e em todas as estações do ano. Desde trilhas no verão a esqui no inverno, Zermatt oferece inúmeras opções de lazer, esportes, gatronomia e muito mais. Mas, é possível conhcer Zermatt com criança? Quais são os melhores passeios? A intenção desse post é contar tudo isso pra vocês.

Eu me arrependo de não ter ido a Zermatt antes. Visitei a cidade no inverno de 2017 prestes a me mudar da Suíça. E agora tô doidinha pra voltar em outra época pra fazer os demais passeios.

A fama de Zermatt está diretamente ligada ao fato dela ser o local ideal para se admirar uma das montanhas mais famosas da Suíça (e por que não dizer do mundo), o Matterhorn. Com 4.478 metros de altitude, a montanha de forma triangular inspirou o formato do chocolate Toblerone, o que contribui para sua fama internacional. Além disso, inúmeras histórias sobre as escaladas (algumas de sucesso, outras nem tanto) aumentam o interesse das pessoas pelo Matterhorn.

Matterhorn

O majestoso Matterhorn

Como chegar a Zermatt?

Uma coisa que você precisa saber antes de ir para Zermatt é que não é possível chegar de carro até a cidade. Se você o fizer, corre o risco de levar uma bela multa. Portanto, se você estiver de carro pela Suíça, vá até a cidade de Täsch e deixe seu carro em um estacionamento por lá.

A cidade tem váaaarios, mas o mais prático é o Matterhorn Terminal Täsch: além de ser coberto, é o estacionamento que dá acesso direto à estação de trem de Täsch de onde, a cada 20 minutos, parte um trem para Zermatt. O bilhete de trem para Zermatt custa 17 francos por pessoa (ida e volta) e a diária no estacionamento fica em média 15 francos (nós pagamos 23 por uma diária e meia), preço médio dos demais estacionamentos. E não se preocupe, você vai ver facilmente onde ele fica.

Quanto tempo em Zermatt?

Dependendo dos seus objetivos de viagem e do ritmo adotado, você pode fazer bate e volta de onde estiver, pois o transporte público na Suíça é algo que funciona super bem e já é um passeio. Mas acho que vale separar pelo menos dois dias para Zermatt, pois assim você consegue explorar a cidade e fazer um ou até mesmo dois passeios de montanha. Como já mencionei, opções não vão faltar.

Onde se hospedar?

O que mais tem em Zermatt é hotel. Mas como a cidade é turística, os preços não são dos mais camaradas. Para quem é mais animado, dá pra ficar hospedado em outros pontos da Suíça e fazer bate e volta. Eu nunca quis essa opção, pois sempre quis aproveitar mais o que a cidade tem para oferecer, por isso preferi dormir pelo menos uma noite por lá. Além do mais, viajando com a Giovanna, as opções de bate e volta são sempre mais cansativas.

Se você também viaja com crianças, é melhor passar uma noite e aproveitar mais o tempo. Nós ficamos no Hotel Metropol & SPA Zermatt e eu super recomendo. A localização é excelente, a equipe mega simpática e receptiva, piscina coberta e jacuzzi pra relaxar no final do dia e uma vista privilegiada para o Matterhorn (ficamos em um quarto com sacada de frente para o triângulo de gelo).

O hotel tem ainda um restaurante que eu também indico. O café da manhã está incluso na diária e proporciona uma vista linda para o Matterhorn. É possível também ter outras refeições por lá (nós optamos por jantar lá, o que viajando com criança sempre é um conforto). E não se assuste se ouvir as garçonetes falando português. Aproveite pra se sentir em casa e não ter dúvidas na hora de fazer seu pedido.

Passeios em Zermatt

Como disse, o que não faltam são opções de passeios pela cidade. Claro que todo mundo que vai até lá, quer subir a montanha pra ter a melhor vista do Matterhorn. Existem dois passeios de montanha recomendados: o Matterhorn Glacier Paradise e o Gornergrat.

O preferido dos turistas é o Matterhorn Glacier Paradise, mesmo sendo a opção mais cara (a subida custa 100 francos suíços, mas te leva até o topo da estação de bondinho mais alta da Europa). A 3883 metros de altitude, de lá você tem uma vista privilegiada do Matterhorn (360 graus) através de uma plataforma . Outra atração do Glacier Paradise é um palácio de gelo. E no verão, dá pra escorregar de boia pela neve. Deve ser demais, né?

Eu estava determinada a fazer esse passeio, mas não tinha recebido uma informação valiosa para quem vai a Zermatt com criança: a subida ao Matterhorn Glacier Paradise não é recomendada para menores de 3 anos. Soubemos disso no hotel (lembram que eu disse que a equipe era uma simpatia, né?) e confirmamos a informação no site do local, que deixa claro que eles não recomendam nem se responsabilizam por qualquer coisa que possa acontecer. Bem, pra que arriscar, não é mesmo? Nosso objetivo é curtir em família e proporcionar também à Giovanna diversão e alegria durante nossas viagens. Portanto o Matterhorn Glacier Paradise ficou pra uma próxima visita a Zermatt.

Optamos então pelo Gornergrat e foi uma ótima decisão. A vista é simplesmente maravilhosa e Giovanna aproveitou o espaço pra brincar na neve. E ainda sai mais barato pro bolso: pagamos 38 francos por pessoa com o SwissPass. Para os amantes de esportes, o Gornergrat também é estação de esqui e estava a todo vapor no final de semana que visitamos. Além disso, é no topo do Gornergrat que fica o hotel mais alto da Europa, o 3100 Kulmhotel Gornergrat. Deve ser demais se hospedar lá, né? E os preços não são muito diferentes dos demais hotéis de Zermatt não (diárias a partir de 300 francos suíços).

Hotel 3100 Gornergrat

3100 Kulmhotel Gornergrat

O Gornergrat também dá acesso a outros passeios, pois são várias estações até a chegada ao topo. Por todo o caminho, a paisagem é deslumbrante e você pode apreciar o Matterhorn de diversos ângulos. Uma das paradas é a estação Rotelboden, que dá acesso ao lago Riffelsee. Se o tempo estiver bom, é possível ver o Matterhorn espelhado no lago. Demais, né? Mas esse passeio é mais recomendado durante outras estações do ano e não no inverno, quando fomos. Então eu não visitei o Riffelsee, fiquei só na vontade e deixei na minha lista para se um dia voltar a Zermatt. Ah! E do alto do Gornergrat, além do Matterhorn, é possível admirar outros 29 alpes suíços. É ou não é pra querer voltar?

Outra possibilidade para quem visita Zermatt fora do inverno é a Rota dos 5 lagos, passeio acessível através da estação de Sunegga. A Ju lá do blog Eu ando pelo mundo fez parte desse passeio durante o projeto Calor dos Alpes e me deixou com muita vontade de voltar a Zermatt pra também me aventurar por essa trilha. São 10 km de caminhada passando pelos 5 lagos com acesso às paisagens mais lindas que a Suíça tem para oferecer. É pra ir pra wish list de qualquer um, não é verdade?

Bem, esses são apenas os passeios mais famosos de montanha. Além deles, passear pelo centro da cidade é também encantador. Se o tempo estiver bom, o Matterhorn é visto de todos os lados. No centrinho, há casinhas de madeira construídas há mais de 500 anos. Há ainda o Matterhorn Museum e o memorial aos alpinistas que morreram tentando escalar o Matterhorn (são mais de 500, é mole?).

A rua central de Zermatt abriga lojinhas e restaurantes. Vale a pena experimentar a culinária local. Tentamos duas recomendações da Ju, mas sem sucesso. O hambúrguer da Brown Cow Pub, na rua principal (Bahnhofstrasse 41), mas estava lotado e o tipo das mesas não favorecem pra quem está com criança, infelizmente. Fomos então pra o plano B, um restaurante para se comer fondue perto da igreja St. Mauritius, mas ele estava fechado. Optamos então pelo vizinho Du Pont e foi ótimo. Comemos fondue com ervas e experimentamos um vinho branco local. O restaurante super charmoso e de ambiente rústico é o mais antigo de Zermatt (só soube disso depois). Valeu a experiência e até a Giovanna experimentou o fondue. O problema é que perdi as fotos que tirei do celular… coisas que acontecem, né? Mais detalhes do restaurante vocês podem ver aqui.

Bem, Zermatt é mesmo uma cidade que merece estar no seu roteiro pelo país dos alpes. Como disse, super me arrependo de não ter ido até lá antes. Agora, prestes a me mudar da Suíça, estou na torcida pra ter outra oportunidade pra visitar de novo a cidade em outra estação do ano e me aventurar por outros passeios, pois ela entrou na minha lista de queridinhas da Suíça. E pra quem vai a Zermatt com criança, a cidade é super tranquila pra passear com o carrinho. Só fique atento se for inverno pra colocar roupas apropriadas no bebê. Fora isso, é só aproveitar.

Já foi pra Zermatt? Conta pra gente aqui nos comentários como foi sua experiência por lá. Está planejando ir e ficou com alguma dúvida? Não hesite em deixar aqui nos comentários que terei o maior prazer em ajudar.

Curiosidade:

O Matterhorn também é conhecido como Cervino (em francês, Cervin) e também pode ser visto e admirado a partir da cidade de Cervínia, na Itália. Para quem gosta de esquiar, é possível esquiar de um país para o outro. Legal, né?

Até a próxima viagem e… voilà!

 

 

2 comentarios en “Zermatt e o majestoso Matterhorn

  1. Juliana

    Já fui a Zermatt, o lugar mais lindo que já conheci. Também subi de trem porque meu bebê tinha 1 ano e 11 meses na época, mas valeu muito a pena. Fui em setembro, e pegamos um dia de Sol maravilhoso. Ficamos hospedados em Tash que valeu mais a pena, deixamos o carro no hotel e seguimos a zermatt de trem.

    Responder
  2. Carla

    Oi!
    Não sabia que não dava para chegar a Zermatt de carro. Você acha que dá para fazer os dois passeios ( Glaciar e Gornergrat ) em um só dia?

    Entre e setembro e outubro conseguimos pegar essa brincadeira da boia pela neve?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *