Monte Rigi, um espetáculo de paisagem no coração da Suíça

Que a Suíça é cheia de montanhas maravilhosas não é segredo pra ninguém. Conhecer os famosos Alpes é desejo de todo mundo que vem visitar o país do queijo e do chocolate. E são tantas montanhas que fica até difícil escolher! A região de Lucerna, por exemplo, é recheada delas e vale muito a pena tirar um dia pra visitar uma das que tem por lá. E foi com esse propósito que nós fomos pra Lucerna encontrar alguns familiares do Brasil que estavam de passagem pela Suíça. Aproveitaríamos a oportunidade de encontrá-los para também visitar uma montanha da região.

A ideia inicial era visitar o Pilatus, uma das montanhas mais conhecidas da Suíça com seus 2132 metros de altitude. Mas demos azar com o tempo naquele final de semana. No sábado caiu uma chuva que Deus mandava e visitar qualquer montanha era jogar dinheiro fora, literalmente. E considerando que a maioria dos passeios que envolvem subidas em montanhas tem um precinho salgado, resolvemos esperar o domingo e ver se São Pedro colaborava conosco.

O domingo amanheceu nublado. Como ficamos hospedados no Ibis de Kriens (uma das cidades que dá acesso ao Pilatus), víamos o Pilatus pela janela do nosso quarto. E de lá já deu pra ver que ele estava todo coberto pelas nuvens. (Para ver outros hotéis em Lucerna, clique aqui). E de acordo com a previsão do tempo, ele continuaria daquele jeito até o final do dia. Eu tinha visto uns snaps da querida Ju do blog Eu ando pelo mundo passeando pelo Monte Rigi e achei simplesmente lindo. Então partimos para o plano B: Monte Rigi, com seus humildes 1290 metros de altitude mas de uma paisagem estonteante de linda. Checamos a previsão do Rigi e eba!!! Por lá, faria sol. Embora fosse verão, nos agasalhamos, pois normalmente nas montanhas as temperaturas são mais baixas. E naquele início de julho o verão tava bem “xoxo” por aqui…

Se você estiver em Lucerna, existem 3 maneiras de chegar até o Rigi:

  1. Ir de trem até uma cidadezinha chamada Arth-Goldau e lá pegar um outro trem (só que menor) até o topo do Rigi.
  2. Ir de barco até uma outra cidadezinha chamada Vitznau e lá pegar o trenzinho até o topo da montanha.
  3. Ir também de barco até uma ooooutra cidadezinha chamada Weggis. Lá, antes de pegar o trenzinho que vai até o topo do Rigi, você vai ter que pegar um bondinho até Rigi Kaltbad onde, finalmente, você pega o funiculaire até o topo da montanha.

Existe também a possibilidade de combinar esses trajetos, indo de trem e voltando de barco, por exemplo. Vai do gosto de cada um. Como nós estávamos de carro em Lucerna, seguimos de carro mesmo até Arth-Goldau, onde pegamos o funiculaire até o topo. Na própria estação do Funiculaire tem um estacionamento onde você pode deixar o carro, se este também for o seu caso. E atenção: cuidado para não perder o ticket do estacionamento, pois caso isso aconteça, são 80 francos suíços para você ter a saída liberada. Aprendemos isso da pior maneira, pois em meio a tantos tickets, bilhetes e papéis, perdemos e tivemos que pagar essa outra fortuna… 🙁

Mas ainda bem que só constatamos a perda do ticket na hora de ir embora. Assim, pudemos aproveitar a paisagem e todo o trajeto do trenzinho tanto na subida quanto na descida. O dia estava lindo e a paisagem é simplesmente deslumbrante! E até a Giovanna curtiu bastante.

 

Mas Fernanda, é um passeio que dá pra fazer mesmo se estiver com bebê?

Se você é adepto ao canguru ou sling, sim, é perfeitamente possível. Com carrinho, eu não recomendo. Vai ser muito trabalho e você terá dificuldades para conhecer o topo da montanha, uma vez que, chegando lá, existem algumas trilhas onde você vai ter que caminhar. Mas com sling/ canguru tudo fica mais fácil. E lembre-se de agasalhar o bebê. Agarradinho na mamãe ou papai ele já vai ficar mais quentinho, mas é importante que ele esteja bem agasalhado. Giovanna fica tão bem que até dorme.

Tanto na estação final da montanha (Rigi Kulm) como na anterior, tem restaurantes, o que facilita bastante. Mas se o dia estiver bonito e agradável, uma boa pedida é levar suas coisas e fazer um belo de um piquenique. Nada mal com uma vista dessas, não?

Monte Rigi

Vista estonteante do Rigi

Em tempo: os preços para subir o Rigi variam e dependem muito do trajeto que você escolhe. Nós escolhemos subir e descer pelo mesmo trajeto, já que o carro estava em um estacionamento, certo? Então pagamos 68 francos por pessoa, que é o preço mais barato. O meu ainda teve desconto, pois tenho o Swiss Pass (para quem compra o Swiss Pass turista, esse passeio é de graça!). Os passeios que combinam trem e barco saem um pouco mais caros que isso, mas acho que valem a pena. Principalmente se você estiver passeando pela Suíça e ainda não tiver feito um passeio de barco. #ficaadica

Bem, este foi o nosso passeio pelo Rigi e eu super indico. Valeu pelas dicas, Ju! E por falar na Ju, ela tem um post super completo com dicas imperdíveis sobre as principais montanhas da Suíça, deem uma passadinha lá pra conferir (só clicar aqui). Eu já conferi o post e tô fazendo minha lista, pois acho que tô bem atrasadinha no quesito conhecer os Alpes suíços rsrsrs. Qual será o próximo? Acho que agora só no verão… ou não, né? Veremos… Então até a próxima e… voilà!

*Passeio realizado no dia 03 de julho de 2016

** Todas as fotos são de nossa autoria, mais precisamente do marido 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *